ONILDO MORENO

Tantas vêzes Tantas vêzes, na madrugada rezo Para cobrir-te com meu corpo Sentir o cheiro de tua flor Tantas vêzes, em vão, rezo Tantas vêzes grito no silêncio Teu nome, Irmã, Amiga ! Tantas vêzes sem rumo ou rota Sem saber ondes estais ! Tantas vêzes eu tremia e tu sorriste Mergulhamos os dois sem volta Tantas vêzes nos corredores Escuras alcovas... Onildo Morenodoença pancreatite crÔnica

Poesias de Onildo Moren0



Todos os meus poemas estão devidamente registrados no escritório de direitos autorais da Fundação Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/Brasil




Marrano desejo

 
Você chegou assim diferente
Rasgando minha pele morena
Despertou desejos escondidos
Jamais revelados na clausura
Em minha loucura no exílio
O sal doce de tua pele
Suficiente segredo místico
Que alimenta minha alma
Marrano desejo...


 
 








Amor te falta


Amor te falta
Lindas palavras vazias
Anunciam tua ilusão
Única indiferença
Raiz da Sinceridade
Amor te falta...






POESIA NO LIXO



SER POETA É TER ALMA 

É FALAR DE AMOR
 É DIZER TE AMO 

MAS POESIA NO LIXO ? 
SIM NO LIXO 

MAS NO LIXO ACHEI A COLEÇÃO DOS 
ANAIS PERNAMBUCANOS 

SIM NO LIXO 
PEREIRA DA COSTA 

NO LIXO
 MAS FOI PRESENTE DO ETERNO

 NO LIXO 

POESIA NO LIXO 
ONILDO MOREN0 NO LIXO 

SUA POESIA NO LIXO 
ALGUÉM VAI ACHAR NO LIXO 

VAI LER E DIZER 
ESSE MORENO POETA 

NÃO É LIXO 


AMA FORTE COM UMA PERNAMBUCANIDADE





ESTÚPIDO AMOR! 


Estúpido amor que invade
Meu coração sefarad 
Lembrança de Anunciação 
Lua nova, D’us te salve. 
Guarde-me do estúpido amor 
Não sei se vou perdoá-la 
Mas ainda amo doidamente 
Estúpido amor! 
Doença sem cura...


AMADIS ! AMA... 

Amadis 
Ama ... 
Ama o sorriso 
Ama o olhar... 
Ama a noite... 
Ama com força... 
Ama com uma Pernambucanidade !


FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO ! 


NAS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO 
FIGUEIRAS 
SOBREIRAS 
OLIVEIRAS 
NENHUM RODIRGUES PEREIRA ESCAPAVA 
NAVARRO 
MORENO 
MACEDO 
PRIMO 
CARVALHO P
OSSUÍAM SANGUE JUDAICO 
NAS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO 
GOMES 
MENDES 
NUNES 
TORRES 
ALVARES 
CAPAZES DE COISAS PRODIGIOSAS
NAS FOGUEIRAS DA INQUISIÇÃO 
BRAGA 
SILVA 
UNIAS 
FAMÍLIAS SEFARADINS NAS FOGUEIAS DA INQUISIÇÃO 
MARRANOS ! MARRANOS! MARRANOS!
 ANUSIM ! ANUSIM ! ANUSIM! 
O SANGUE CHAMA ! 

PS . POESIA DEDICADA A TODOS OS BNEI ANUSSIM




TANTAS VÊZES
Tantas vêzesdoença pancreatite crÔnica



Tantas vêzes, na madrugada rezo

Para cobrir-te com meu corpo 
Sentir o cheiro de tua flor 
Tantas vêzes, em vão, rezo 

Tantas vêzes grito no silêncio 
Teu nome, Irmã, Amiga ! 
Tantas vêzes sem rumo ou rota 
Sem saber ondes estais ! 

Tantas vêzes eu tremia e tu sorriste 
Mergulhamos os dois sem volta 
Tantas vêzes nos corredores 
Escuras alcovas...



MISTURA




EU QUERO LICOR DE MENTA
EU QUERO PIMENTA
EU QUERO VINHO
EU QUERO CARINHO
EU QUERO AZEITONA
EU QUERO QUEIJO
EU QUERO BEIJO
EU TE DESEJO
EU QUERO VOCÊ
VEM ME ENLOUQUECER
TE QUERO SEM FIM
VEM PRA MIM
VOU ENLOUQUECER
POR NÃO TER VOCÊ
QUERO SER DEVORADO
JAMAIS TE ESQUECER
VEM ME AQUECER
NO ESPELHO QUERO TE VER
E EM TEUS BRAÇOS VOU DORMIR
E SER UMA MISTURA SEM FIM



ONILDO MORENO


PS: Todos os meus poemas estão devidamente registrados no escritório de direitos autorais da Fundação Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/Brasil






A PECADORA

 

Cálice de prazer sabor do pecado

Funesto amor, sussurrado!
Distante lembrança que devora 
Um amor perdido que foi embora.
  
E pelo que fica dito
Senhora do meu coração
Ardente vinho ilícito
Com fúria força e revolução.
  
No silêncio da noite, a cada instante.
Chica da Anunciação é amante
Mulher de má vida dita A PECADORA
É Mar em chamas por desejos proibidos.
 
Jóia libente desejo mais ardente
Loucuras no meu silêncio 
Oh! Misteriosa PECADORA
Eu neste convento me resigno.
 
A benção de teus santos seios
Que motiva desejos
Pacto duvidoso! 
Lilith da noite A PECADORA

Nenhum comentário: